Minhas Canções.

domingo, 19 de julho de 2015

Em Carne Viva...Em Viva Carne

Em carne viva.
Em viva a carne.
A alma que sofre, impotente sem poder fazer nada só observando.

Em carne viva.
Em viva carne.
Os olhos antes tão cheio de vida, hoje perdido pelos mares das memórias antigas.

Em carne viva.
Em viva carne.
A boca que antes sorria com tanta facilidade.
Hoje tão desconexa não sabe mais o contexto do texto.

Em carne viva. 
Em viva carne.
Braços e pernas sem lógica em um corpo alquebrado...
Tão sofrido, mais tão distante da realidade, que hoje tanto faz...

Em carne viva.
Em viva carne.
Um coração transbordando de amor...
Que nem assim consegue submergir na realidade do ser.
E vai navegando em mares desconhecidos para nós e tão íntimo para você.

Lágrimas que transbordam quando ninguém vê...
Força e fortaleza como as montanhas...
Que na solidão do quarto se desmorona como um terremoto.
Mais que precisa renascer todo amanhecer, para que o barco continue flutuando, até que o barqueiro diga que foi o último porto e siga para o seu merecido descanso...
Lunna

18:03*19.07.2015

16 comentários:

  1. O candeeiro está iluminando,
    em carne viva, em viva carne
    por você fico o aqui esperando
    enquanto na lareira a lenha arde!

    Para juntos nos aquecer,
    na braseira da lenha ardida
    enquanto estou a escrever
    este comentário para ti amiga.

    Boa noite e bons sonhos, um beijo para você.
    Eduardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu querido amigo poeta português, é sempre com grande carinho que recebo você, e quem sabe um dia, no braseiro da lenha ardida possamos prosear e dar algumas risadas com nossas lembranças.
      Beijos carinhosos.

      Excluir
  2. Que lindo isso,Lunna! Adorei! um beijos,tudo de bom,lchica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica amiga, agradeço pelo carinho.
      Beijos doces

      Excluir
  3. Lunna,

    Sempre estou recebendo suas atualizações, leio no email, pq como vc tem musica, sempre me esqueço de bloquear o som.... e nem sempre estou abrindo somente em casa!

    O que voce disse é o que muitas vezes eu sinto! Quanto mais o tempo passa, mais me sinto assim.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sissym minha amiga, nesse momento da minha vida, estou assim, viajando nas profundezas do 'ser', para suportar, com fé, as provações que o dia a dia traz.
      Espero que a luz da Grande Mãe te cubra e te ajude sempre,
      Beijos no coração.

      Excluir
  4. Linda poesia adorei !!!
    Me olho no espelho e não me vejo !!!!
    So vejo dor e solidão tento fugir deste mundo
    que não e meu !!!!
    E so um pesadelo que não consigo acordar !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou das minhas palavras, pois ela carrega pedaços de mim.
      Agradeço a visita Edinaldo.
      Bjs

      Excluir
  5. Hola "Lunna"
    muy buenas tardes,

    maravilloso escrito!
    un texto lleno de sentimiento y con un mensaje claro...
    me has dejado sin palabras, te felicito...
    me encantó!

    Te deseo un hermoso fin de semana
    un beso gigante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido amigo agradeço pela sua amizade.
      Beijos enormes no coração.

      Excluir
  6. Amada Lua, mas que poesia linda e tão profunda, como você meu Anjo.
    Saudades amiga.
    Beijinhos de purpurina!
    Ana Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitas saudades de você amada. Sentindo muito sua falta nesse momento que estou vivendo aqui.
      Beijos enluarados

      Excluir
  7. Bom dia, querida amiga!
    Aos poucos, a carne antes tão viva parece desvanecer-se...parte de nossa vivência no mundo de maya, na ilusão do efêmero, pois o espírito, esse, sempre vívido e luminoso dentro do corpo sofrido, talvez tenha a bênção de não mais sentir com toda a consciência o que com ele se passa, até ser totalmente libertado para o mundo que nos espera depois dessa experiência na terra. Exige de nós paciência e resignação enormes esse lento desprender-se, e só mesmo a natureza, em sua beleza perene, nos dá o exemplo do desprendimento, na folha antes verde-esmeralda que seca e cai no outono, na água que passa e deixa pra trás a paisagem amena para se unir ao oceano, no pássaro que constrói ninho após ninho depois que a tempestade o destrói.
    Mas nos diz Chico Xavier: "isso também passará!"
    Até um dia fazermos parte da eternidade, onde a felicidade não mais passará...
    Um grande abraço!

    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bíndi e Ghost, meus amigos queridos, vocês sabem do que falei e do que estou sentido nesse momento.

      Agradeço de coração e alma pela generosidade das palavras e pelo carinho que você estão me dando nesse momento de transição.
      Beijos em vocês.

      Excluir
  8. Lua mande pra mim o livros neblina e escuridão de mari scot hibrida e guardião

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antonecilda esse não é um blog de livros.
      Bjs

      Excluir

Peço que se identifique, pois comentário ANÔNIMO é igual chamada restrita, você não sabe da onde vem e como retribuir.

Bençãos da Deusa.
Blessed be!!
Lua.