Minhas Canções.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O Minotauro

Na mitologia grega, o Minotauro (em grego: Μῑνώταυρος; em latim: Minotaurus; em etrusco: Θevrumineś), era segundo sua representação mais tradicional entre os gregos antigos, uma criatura imaginada com a cabeça de um touro sobre o corpo de um homem. O autor romano Ovídio descreveu-o simplesmente como "parte homem e parte touro." Habitava o centro do Labirinto, uma elaborada construção erguida para o Rei Minos de Creta, e projetada pelo arquiteto Dédalo e seu filho, Ícaro especificamente para abrigar a criatura. O sítio histórico de Cnossos, com mais de 1300 compartimentos semelhantes a labirintos, já foi identificado como o local do labirinto do Minotauro, embora não existam provas contundentes que confirmem ou desmintam tal especulação. No mito, o Minotauro eventualmente morre pelas mãos do herói ateniense Teseu.

De tempos em tempos, os atenienses deviam pagar um tributo ao rei de Creta, o qual consistia num certo número de rapazes e moças virgens. Estes jovens eram levados a Creta e, após um período de preparação, colocados
individualmente no interior do labirinto, de onde não conseguiam sair, e acabavam nas mãos do Minotauro, que os sacrificava. É justamente um herói ateniense, Teseu, quem consegue matar o monstro em combate e escapar do labirinto. Foi para isso ajudado por Ariadne, princesa filha do rei Minos, que o presenteia com um novelo de linha na entrada do labirinto. Ao caminhar pelos corredores emaranhados desse palácio, Teseu vai desenrolando o novelo, de maneira que, após o combate, consegue achar a saída do labirinto.
O Minotauro simboliza as forças obscuras de seu inconsciente, que devem ser combatidas e vencidas. Os corredores do labirinto tortuoso são interpretados como representações dos vícios, paixões e qualidades negativas que devem ser conhecidas e superadas. E Ariadne, por fim, simboliza a força e a inteligência do instinto e da intuição, atributos sem os quais será impossível vencer o grande desafio.
O significado simbólico dos labirintos é de tipo universal ou arquetipal: o centro representa a consciência superior, a realidade absoluta, a imortalidade, a divindade; os caminhos tortuosos que vedam quase completamente o seu acesso simbolizam as provas e dificuldades pelas quais deve passar todo aquele que pretende chegar até o "centro de si mesmo", ou seja, a consciência superior. O simbolismo do labirinto está também ligado ao simbolismo da espiral. Nesse sentido, o centro, ou ponto inicial interno da espiral, representa o princípio único, imóvel. As curvas da espiral simbolizam o universo manifestado em constante movimento.
Abraços de luz.
Lua.
O termo Minotauro vem do grego antigo Μῑνώταυρος, composto etimologicamente pelo nome Μίνως (Minos) e o substantivo ταύρος ("touro"), e pode ser traduzido como "(o) Touro de Minos". Em Creta, o Minotauro era conhecido por seu nome próprio, Astérion, um nome que ele compartilhava com o pai adotivo de Minos.
Minotauro, originalmente, era apenas utilizado como nome próprio, referindo-se a esta figura mítica. O uso de minotauro como um substantivo comum que designa os membros de uma raça fictícia e genérica de criaturas antropogênicas com cabeças de touro surgiu bem posteriormente, no gênero de ficção fantástica do século XX.
História
Após assumir o trono de Creta, Minos passou a combater seus irmãos pelo direito de governar a ilha. Rogou então ao deus do mar, Poseídon que lhe enviasse um touro branco como a neve, como um sinal de aprovação ao seu reinado. Uma vez com o touro, Minos deveria sacrificar o touro em homenagem ao deus, porém decidiu mantê-lo devido a sua imensa beleza. Como forma de punir Minos, a deusa Afrodite fez com que Pasífae, mulher de Minos, se apaixonasse perdidamente pelo touro vindo do mar o Touro Cretense.[7] Pasífae pediu então ao arquetípico artesão Dédalo que lhe construísse uma vaca de madeira na qual ela pudesse se esconder no interior, de modo a copular com o touro branco. O filho deste cruzamento foi o monstruoso Minotauro. Parsífae cuidou dele durante sua infância, porém eventualmente ele cresceu e se tornou feroz; sendo fruto de uma união não-natural, entre homem e animal selvagem, ele não tinha qualquer fonte natural de alimento, e precisava devorar homens para sobreviver. Minos, após aconselhar-se com o oráculo em Delfos, pediu a Dédalo que lhe construísse um gigantesco labirinto para abrigar a criatura, localizado próximo ao palácio do próprio Minos, em Cnossos.
Em nenhum lugar a essência do mito foi expressa de maneira mais sucinta que nas Heróidas, atribuídas a Ovídio, em que a filha de Pasífae reclama da maldição de seu amor não-correspondido: "Zeus amou Europa, como um touro, escondendo sua cabeça divina - ela deu origem ao nosso povo. Um fardo e uma punição nasceram do útero de minha mãe, Pasífae, montada por touro que ela enganou.
Fontes da pesquisa: wikipédia e topgyn.

10 comentários:

  1. Lua, eu fui lendo e me recordando que uma vez, na infancia, vi algum filme com o "tal minotauro". Nossa, fiquei com medo um tempão de passar por um jardim que existia na cidade... rsss

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrs
      O Minotauro sempre habitou meu imaginário infantil.
      Sempre de um jeito fantasioso louco, rsrsr
      Beijinhos de luz.
      Lua.

      Excluir
  2. Hola Luna,a ésto le llamo yo saber escribir, me gusta!!
    Gracias por tan bonita enseñanza.
    Besitos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecida amiga pelo carinho das palavras.
      Beijinhos de mirra.
      Lua

      Excluir
  3. Muito bom texto amiga, recordei os velhos tempos de colégio onde aprendíamos isto nas aulas de História. Uma boa quinta feira, beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecida amada pela visita.
      Beijinhos de baunilha.
      Lua

      Excluir
  4. Oie.
    Pensando em vc, resolvi filmar seus filhotes.
    Tem vídeo hoje, amanha e depois no blog!!!
    Assim você poderá ver alem de fotos!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei que bom que estou te vendo por aqui, agora quem sumiu foi a a Ana, e eu já entupi a cx de e-mail e mensagens dela, rsrs

      Amei poder ver de mais pertinho meus lindos 'filhotinho', lindo Cão, levado Pingo e charmosa Bela, rsrs
      Beijinhos de violeta.
      Lua

      Excluir
  5. Oi Luaaa,estava com saudades de aparecer por aqui.Muito legal este texto,eu adoro Mitologia Grega desde adolescente.Bom fim de semana Lua.Beijo....Lili.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecida amiga, adoro estudar sobre os 'mitos'.
      Beijos de jujuba.
      Lua.

      Excluir

Peço que se identifique, pois comentário ANÔNIMO é igual chamada restrita, você não sabe da onde vem e como retribuir.

Bençãos da Deusa.
Blessed be!!
Lua.