Minhas Canções.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Garimperiros inlegal invade reserva indígena dos ianomâmis e provocam mortes.

Garimperiros inlegal invade reserva indígena dos ianomâmis e provocam mortes.
De um lado, os garimpeiros ilegais, que desafiam a lei em busca de ouro. De outro, os donos da terra, os índios ianomâmi, que estão em pé de guerra.
* Os garimpeiros abrem imensas feridas, com a devastação da floresta, contaminam rios que servem de sustento e vida para os índios e, o pior estão passando doenças na qual os indios não tem imunidades, com isso vários já morreram, comunidades que possuem em média 250 índios estão perdendo 10% da sua população.
A alta do preço no mercado internacional está provocando uma nova corrida do ouro na terra indígena ianomâmi, em Roraima. Uma gigantesca reserva, do tamanho do estado de Pernambuco, onde só se pode entrar com autorização da Fundação Nacional do Índio (Funai).
Nos anos 1980, a região já tinha sido invadida por garimpeiros. Falava-se em 40 mil pessoas tentando enriquecer do dia para a noite. O contato com as aldeias provocou uma tragédia. Sem imunidade contra as doenças dos brancos, os índios morriam até pegando gripe. “Em alguns lugares morreram 30% ou mais da população. Em outros lugares, ninguém sabe. Algumas aldeias que a gente sabia que existiam simplesmente sumiram”, conta o missionário católico Carlos Zacquini.
* Os garimpeiros tem um "código de honra" de não falar o nome dos donos das máquinas, pois por trás dos garimperios existem verdadeiras quadrilhas com um poder financeiro muito grande, os garimpeiros na verdades são tão vítimas como os índios, pois são pessoas sem nada, vivendo como escravos, e correndo grandes risco. Ao todo, 60% ficam com o dono. O resto é dividido entre eles. Analfabeto, sem formação profissional esse é o perfil dos garimpos, quanto mais ignorantes, menos eles sabem dos direitos e deveres.
A guerra está instalada, brandindo o machado, Joana Yanomami diz que os garimpeiros mataram os avós dela anos atrás e que voltaram agora para trazer mais doenças e matar mais índios. “Voltem para a casa de vocês, deixem a nossa terra em paz”, ela grita em ianomâmi.
A grande preocupação da Funai é com as aldeias de índios isolados que não têm contato com brancos e nenhuma imunidade contra doenças. “Existem garimpeiros muito próximos desses grupos isolados. Nós temos pistas de garimpo com acampamentos a menos de 15 quilômetros desses índios isolados”, revela o antropólogo da Funai Michel Ibris da Silva.
A Funai identificou 110 pistas clandestinas de avião dentro da reserva Ianomâmi. Pelo menos 15 estão em operação. Uma delas muito próxima à aldeia dos MOXI HATETEME, um grupo de ianomâmis que não tem contato nem com outros índios. Os moxi hateteme foram filmados pela primeira vez em maio último. Em toda a reserva ianomâmi, há dezenas de garimpos de maquinário, que lavam o barranco dos rios com jatos de água em busca de filões de ouro, formando enormes clareiras no meio da selva.
* A lei é branda para os garimperios que invade as reservas índigenas, na outra ponta os joalheiros que compram esse ouro, sabe que é inlegal, mais dizem com a maior cara de pau, que tem DINHEIRO para pagar advogados...
Um projeto de lei regulamentando a extração mineral nas terras indígenas tramita no Congresso Nacional, e isso é um absurdo. O maior líder ianomâmi, o pajé Davi Kopenawa, conhecido até na Europa como o dalai lama da floresta, é radicalmente contra. “Acaba a floresta, acabam os índios. E depois a natureza vai brigar com vocês: muita chuva e muito quente. Essa é a nossa palavra”, diz Davi Kopenawa.


Até quando o homem vai destruir? Até quando os Governos vão ficar olhando sem tomar uma verdadeira atitude? Ou pior, facilitar para alguns "abutres" ganharem em cima de tantas mortes. Até quando vão continuar a destruir os povos das florestas?
Para nós que vivemos nas grandes cidades, não temos muita noção do que é a vida pra eles na mata. Esses povos merecem respeito, dignidade e, eles tem todos os direitos de se defender contra quem os ataca, contra quem os agredi. Eles tiram da natureza sua sobrevivencia com harmonia e respeito, isso é que todos os seres humanos deveriam aprender com eles RESPEITO A NATUREZA E AOS SEUS SEMELHANTES!
Vamos fazer uma corrente de ajuda aos "Povos das Floresta", que só tem do lado deles, os defensores, os antropólogos, repórteres sérios. E contra eles tem montanhas de dinheiro, influências políticas das mais variadas. E contra isso só a voz. Eu fico indignada com esse tipo de ação em pleno século 21.
Abraços verdes.
Lua.

8 comentários:

  1. Lua estou indignada, não fazia a menor idéia de que isso pudesse acontecer em pleno séc. XXI "Os povos das florestas" merecem ser tratados com mais consideração e carinho pois se não fossem eles a cuidar de preservar essas terras hoje nem haveria sítio para garimpar. Que malvadez! Eu estou do lado dos "povos das florestas" gente boa que honra a mãe natureza, que a respeita e a protege, ainda por cima como se não fosse suficiente todo o estrago que causam os garimpeiros ainda trazem doenças para os coitados!! Estou mesmo revoltada, alguém tem de fazer algo Lua, será que vai ficar assim mesmo? Olha se vc permitir eu vou publicar no meu blog, deste modo o mundo inteiro vai ficar a saber o que se passa por aí. Estou de acordo com vc, vamos fazer uma "correntinha" para ajudar os "Povos das florestas" hoje em dia temos uma ferramenta muito útil, a internet que chega a todo o lado. Vamos então divulgar e expor estas situações para que o governo tenha vergonha e mude as leis. Vamos dizer todos basta "AO COMÉRCIO DO OURO DE SANGUE" no nosso século. Conte comigo, vou partilhar.
    Beijinhos de cachoeira.
    Ana Maria

    ResponderExcluir
  2. Sabe amiga, o Brasil é um território muito grande, eu estou no Sudeste eles no Norte do País, então fisicamente eu estou muito longe, mais mesmo de longe resolvi fazer algo, então agradeço essa corrente do bem, quantos mais aderir, mais forte fica a corrente. Fique a vontade para publicar.
    Beijos de pinho.
    Lua

    ResponderExcluir
  3. Ná,

    é uma pena... uma calamidade o que está acontecendo...
    eu também não estava sabendo de nada...
    Mais uma vez você nos trouxe esta informação...
    Tudo isso é muito triste...
    Mais triste é ver que o governo brasileiro simplesmente não faz nada...
    O índios são os verdadeiros donos do Brasil e deviam ser mais respeitados...
    O mais triste é que é tudo por causa do ouro... tudo por causa de dinheiro...
    Muito triste...
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. É triste, é vergonhoso, é um verdadeiro horror!!!
    Espero que toda essa situação mude para melhor, para os índios.
    Beijos querido amigo Wilson.
    Lua.

    ResponderExcluir
  5. Meu Deus SOCORROOOO!!!tem que autoridades tomar partido disso com punho,leis mais severas sem dó e nem piedade contra os impostores. O que é isto estamos vivendo em que tempo em?. Eu vi a reportagem, eu não consigo respirar em meio a tanta covardia provida da ganância,gente sem escrupulo. Falta de coração e alma macabra,o povo da natureza são nossos ancestrais além de serem abençoados por proteger nossa mata,nossa fauna e nossa vida, pois sem a natureza como vamos respirar, como vamos viver?.
    Concordo com o comentário da Ana Maria.
    Amiga, obrigada pela visita e comentário,palavras que nos deixa feliz em meio a tanta tristeza no mundo,temos amigos que nos conforta e dou graças a Deus, agradeço a mãe natureza todos os dias.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  6. Amiga Fênix com já disse antes, é sempre um alegria visitar as beleza que meus amigos postam.
    Beijos de iluminação.
    Lua.

    ResponderExcluir
  7. LUA

    Vim agradecer o teu mimo. o poema
    é o meu grito de desigualdade. Eu sei que quem tem pouco consegue dividir muito mais que aquele que tem muito.
    uma reflexão. não umas letras por outras letras.
    um beijo e gosto muito de ti porque entendes a minha mensagem
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Querida Lili, cada poema seu escrito, mostra um pouco da sua linda alma. Eles são lindos e repletos de amor e significado.
    Beijos doces.
    Lua.

    ResponderExcluir

Peço que se identifique, pois comentário ANÔNIMO é igual chamada restrita, você não sabe da onde vem e como retribuir.

Bençãos da Deusa.
Blessed be!!
Lua.