Minhas Canções.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Ambulâncias sucateadas e 1,2 mil veículos novos parados.

O Fantástico apresenta a triste radiografia de um serviço público essencial: as ambulâncias do Brasil precisam de socorro. Percorremos sete estados e, além de flagrantes absurdos de precariedade, descobrimos que mais de 1,2 mil ambulâncias novas estão paradas, abandonadas - um desperdício de dinheiro público.
Um homem sofre convulsões e é resgatado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que atende 112 milhões de brasileiros. Em um acidente de trânsito, uma mulher precisa de socorro, e também é o Samu que entra em ação. “Mesmo o rico, o pobre, toda pessoa pode sofrer um acidente, e o primeiro atendimento é o Samu”, afirma o procurador da República Alan Mansur Silva.
Mas, no Brasil inteiro, o péssimo estado de muitas ambulâncias prejudica o socorro. Uma delas só tem um limpador de para-brisa. em outra, o óleo está vazando, e a tampa do reservatório de água é uma luva cirúrgica improvisada. Quando chove, pinga dentro da ambulância, inclusive na cabeça do paciente.
O Ministério da Saúde recomenda que o tempo entre a ligação para o 192 e a chegada ao hospital seja de 15 minutos. Mais isso não acontece!!!!!
O serviço 192 funciona assim: na chamada central de regulação do Samu, os primeiros a responder a uma ligação são técnicos. Geralmente, uma única central é responsável pelo atendimento em várias cidades. A coordenação é feita por médicos, que decidem se é preciso enviar socorro – isso quando existe ambulância.
É o Ministério da Saúde que compra as ambulâncias do Samu e ajuda a criar as centrais de regulação. Depois, para manter o serviço, os custos são divididos: metade para o governo federal e metade para estados e municípios. Só em 2010, o Ministério da Saúde repassou R$ 369 milhões.
Em alguns lugares, faltam ambulâncias. Em outros, elas circulam caindo aos pedaços. Mas esses não são os únicos problemas do atendimento de emergência. No ano passado e neste ano o Ministério da Saúde entregou 2.312 ambulâncias novas. Só que 1.215, mais da metade, estão paradas. Custaram mais de R$ 160 milhões e nunca salvaram uma vida. Se todas estivessem rodando, a frota nacional, que atualmente é de 1.788 ambulâncias, aumentaria quase 70%.
Quem depende do serviço público de ambulâncias faz um apelo. “É gente que está morrendo, é gente que está adoecendo. Eu pediria pelo amor de Deus que eles olhassem só um pouquinho para a gente”, diz a comerciante Helen Rose Brito.

Apesar de toda o "PÉSSIMO" serviço dos hospitais público, principalmente o do Rio de Janeiro, ainda essa vergonha nacional das ambulâncias.
O caso é bem claro, se você não tiver um "BOM" Plano de Saúde Particular e, ficar doente reze para não morrer ou piorar muito o seu estado de saúde quando for proucurar ajuda dos Serviços Públicos de Saúde. Pois milhares de pessoas todos os dias morrem por falta de atendimento, ou por atendimento incopetente dos profissionais de saúde.
Entendo bem que a maioria dos hospitais não tem dado suporte, e faltam todo tipo de material, mais quando você se forma seja médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, você cumpre um "Juramento", e ele tem que ser seguido por você diáriamente, pois antes mesmo de começar um curso, você já sabe o vai enfrentar pela frente.
Lidamos com pessoas, então vamos tratá-los como gostaríamos de ser tratados se estivesse no lugar deles.
Só pra vocês terem uma idéia, de como está ruim. Meu Pai, está com um problema sério de sáude, e precisa "urgentemente" tomar sangue, por recomendação de um médico do UPA, foi para um Hospital Público chegou, as 13:30 na 6ª feira (23/09), passou pela triagem e fez um exame de sangue e teve que esperar até as 17:40 para o resultado. Foi comprovado o que o outro médico já tinha dito, que precisava de sangue, fez outro exame, e esperou de novo o resultado, as 23:50. Conclusão, não tomou o sangue e, o médico falou que era pra proucurar outro hospital, pois a prioridade do sangue era pra quem chegasse de acidentes graves, ou tiro, ou facada...E todo o estoque de "sangue", tinha sido desviado para os Hospitais Públicos da Barra da Tijuca, devido ao Rock in Rio.
Bem a situação é o seguinte pela minha visão: Se você foi "IDOSO", com um quadro clínico debilitado, não vá ao Hospital Público, ou ante de ir chame toda a impresa, pois só com a mídia os Hospitais daqui do Rio funciona.
Abraços.
Lua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Peço que se identifique, pois comentário ANÔNIMO é igual chamada restrita, você não sabe da onde vem e como retribuir.

Bençãos da Deusa.
Blessed be!!
Lua.