Minhas Canções.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Lenda cigana

Lenda contada pela Puri Dei Tsine Lisa do clã do Lovari

Quem não conhece a lenda que diz que no final do arco-íris existe um pote de ouro?

Pois bem, em tempos distantes, quando os ciganos eram perseguidos e massacrados por povos bárbaros, viviam desesperados e sem perspectivas, pois não tinham como se defender de tão acirrada perseguição, uma vez que os ciganos são pacíficos e não guerreiam, pois no lugar de armas portam seus violinos, no lugar de guerras, cantam suas canções e alegrias, no lugar de destruição, a beleza de suas danças, em lugar de morte, seus corações pulsam com a alegria de viver, e da liberdade, e em lugar da fome, a mesa farta distribuída para todos. Difícil para esse povo ter que agredir ou mesmo matar para se defender. Assim, buscavam sempre bater em retirada, procurando a tão almejada paz, sem que isso tivessem que recorrer á guerra.
Já cansados pela fuga com incontáveis perdas de parentes e amigos, na realidade seus clãs já quase disseminados e em total desespero, a aflição era a única força que os impulsionava para seguir em frente, foi quando então, face a toda aquela situação e desespero, que a cigana; ao ver o arco íris, clamou com toda a força de sua alma, desejosa de salvar os poucos que restavam de seu clã e ao filho que esperava em seu ventre, preste a nascer em meio a toda aquela violência e miséria, dizendo:

- Deus do arco-íris, vós que atravessais os céus ligando à terra de uma extremidade a outra, eu a cigana… Te evoco e Te imploro, nos salve e nos mostre a terra da paz.

E, se jogando ao chão, chorou copiosamente. A cigana no fundo de sua alma esperava receber uma resposta quando percebeu que as cores do arco íris começavam a brilhar cada vez mais intensamente, alternando-se com rapidez. Secando as lágrimas dos seus olhos e imaginando estar vendo “coisas em razão das lágrimas que ofuscavam seus olhos e sua visão naquele momento, pôde perceber que realmente as cores estavam se alternando com brilhos mais intensos e incomparáveis. Era como se fossem as cordas de um instrumento musical. E sons melodiosos começaram a soar, como pequenos sinos emitidos sons divinos.

Sua alma então se aquietou, uma imensa paz a invadiu, quando inesperadamente ouviu uma voz dizendo:

- Cigana, a sina de seu povo será se espalhar pelo mundo todo, povoar as terras mais distantes, representando-me em sua beleza. O céu será seu teto, a terra seu palco e seu lar.

Eu ofuscarei a visão dos seus perseguidores para seu povo partir em segurança, mas o filho que você carrega em teu ventre ficará comigo.
Neste instante a cigana então segurou seu ventre com as mãos e gritou:

- Não, não me peça o meu maior tesouro, ó Deus do arco-íris, eu te peço não tire a vida do meu filho!

Novamente então seguiu dizendo a voz do alto:

- Cigana, se aquiete, seu filho não perderá a vida, antes ele lhes dará a vida. Como um tesouro ele será guardado por mim. Ele fará com que minhas cores ganhem vida em suas vidas, suas mãos estarão eternamente suprindo todas as suas gerações com moedas de ouro, pois a ele será dado o pote encantado do eterno suprimento e em minhas cores que vocês passarão a usar estará o encantamento, a magia, que fará a partir de agora partirá de suas almas, pois seu filho encantado continuará para sempre as animando em suas alma e espíritos.
E com o verde levarão a esperança, a fartura, com o vermelho, a vida, o entusiasmo e o vigor, com o amarelo, a realeza, a riqueza, com o azul levarão a serenidade, a intuição, com o laranja, a energia, a vitalidade, a emotividade, com o violeta levarão a transmutação, perseverança, com o rosa, o amor, a beleza, a moralidade e a música.
E então, como num passe de mágica, a cigana viu seu filho flutuando e dando risinhos em direção ao arco íris, envolto por suas cores cintilantes, formando-se em sua cabecinha cachinhos de cabelos dourados, que caíram em forma de moedas de ouro. Quando tempo se passara, a cigana não sabia,havia, pois, sido tomada por uma espécie de torpor e uma calmaria imensa havia envolvido sua alma.

Foi quando a cigana percebeu que estava em uma das extremidades do arco-íris e que de suas mãos saiam feixes de luz coloridos e nas mesmas cores do arco-íris, viu então seu povo ao redor do lugar em que ele se encontrava anteriormente, encantados com as incontáveis moedas de ouro que não paravam de cair sobre eles. No local em que caiam as lágrimas que derramava, formava-se um lindo jardim de flores coloridas e das mesmas cores do arco-íris.
Desde então, os ciganos se dispersaram pelo mundo na irradiação do arco-íris, levando o encanto de suas roupas coloridas, a atração pelo ouro, conhecendo em suas almas e no relato intuitivo de seus antepassados que o colorido de suas roupas na realidade é o colorido de suas vidas que eles tanto amam e que o brilho do ouro é o brilho do tesouro mais valioso que é o Dom de viver, e que ao final do arco-íris existe um pote de ouro inesgotável a supri-lo.

Lendas… o que são lendas? São apenas lendas, mas que trazem todo um fundo de verdade.

Quem já viu ou teve a oportunidade de ver uma cigana dançando, com o seu corpo se movimentando, como a ondulação de uma serpente? A serpente do arco-íris.

Quem já teve a oportunidade de observar o olhar de um cigano? Que hipnotiza, atrai como o olhar de uma serpente. A serpente do arco-íris.

É interessante o que fazem as lendas na história de um povo. Inserindo no costume e fazendo nascer entre o povo a tradição da oferenda ao encantado do arco-íris, para trazer sorte, dinheiro, felicidade e perpetuar a união e o amor pela vida e a liberdade, seus maiores tesouros.


Fonte: Livro Rituais e mistérios do povo cigano
Autor: Nelson Pires Filhos

Que a mágica esteja presente no dia a dia de todos nós.
Opchá!!!
Lua.


3 comentários:

  1. Oi amiga, amei esse seu post, lindo!
    Na verdade temos mesmo muita coisa em comum, eu adoro o povo cigano e a sua magia, sou devota da Santa Sara Kali a sua Padroeira.

    Agora quero dizer-lhe que adorei aquela dica que me deu do youtube, como é que sabia que eu amava cantos gregorianos? Vc também gosta?
    Lua eu adorei os videos e as músicas, muito obrigado.
    Beijinhos de tomilho e alecrim.
    Ana Maria

    ResponderExcluir
  2. Linda postagem e imagens !
    Obrigada pelos coments... Eu não fiz fotos passo a passo porque as fotos são antigas,não tenho feito artesanato...

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. * Olá Ana Maria, eu gosto de vários estilos de música, e entre eles está o canto gregoriano, que bom gostou dos vídeos, se quiser fique a vontade para postar no seu lindo blog. Que Santa Sara de Kali e todas as tribos ciganas, te ilumine e te abençõe.
    Beijos mágicos.

    Olá Jacque, os comentários foram feitos de coração, espero que volte a fazer artesanato em breve. Mais o seu blog está cada vez mais inspirador.
    Beijos encantados.

    Lua.

    ResponderExcluir

Peço que se identifique, pois comentário ANÔNIMO é igual chamada restrita, você não sabe da onde vem e como retribuir.

Bençãos da Deusa.
Blessed be!!
Lua.